23 de dez de 2009

Vida Adulta


Andei pensando dia desses (desculpa, penso "diariamente") na vida adulta que levamos.


Voltarei um pouco no tempo para explanar como "imaginava" a vida adulta em algumas fases da vida.

Quando criança, lá pelos 6 ou 7 anos meus sonhos todinhos eram voltados para o uso da maquiagem, do vestido e do salto alto. A Lizandra criança só pensava na "maturidade" se ela viesse vestida para arrasar. Linda e doce. Glamourosa. Meus olhinhos brilhavam só de me imaginar nos vestidos esvoaçantes de minha mãe. Adulto era isso!


Depois na adolescencia era questão de honra "parecer" adulta. Honra não. Sobrevivência. Se tinha 14, queria ter 18. Se tinha 15, queria ter 18. Se tinha 16 ou 17, adivinha ... 18!


Finalmente 18 e adivinha? Após todos os anos seguintes desejei desesperadamente permanecer lá. Nos 18.


De qualquer forma cresci. Ser adulto então passou a ser REALIDADE.


Conheci na vida adulta o grande amor (isto não significa que meu coleguinha da 1ª série não tenha sido!!).

Na vida adulta fui abençoada com a dádiva da maternidade. Dádiva. Apesar que nas noites em claro nem sempre pensei desta forma.

Junto com a vida adulta vieram as convenções da sociedade. A roupa que devemos vestir, o carro que devemos dirigir, a escola dos filhos, o numero de cartões de crédito na carteira e principalmente a labuta diária para obter verba para tudo isso.

Onde esta o glamour?

Ando de salto alto sim. Uso um brilho nos lábios. E meus vestidos não são esvoaçantes mas são "ajeitadinhos". Mas não consigo ver brilho nisto tudo.

Queria voltar a ter meus olhinhos de criança. Como eu queria...

O amor da vida da gente além de beijos, carícias e palavras de afeto, também fala da conta da luz, do conserto do carro, da pintura da casa.

Nossos filhos mimosos crescem e o espaço diminui. São personalidades diversas vivendo sob o mesmo teto.

O trabalho te devora e te sustenta. Mas também te da prazer.

O que é difícil mesmo é o equilíbrio.

Ser adulto acho que é isso.

Uma constante tentativa de equilíbrio.

De seriedade com serenidade.

De obrigações com emoções.

Adulto sim, equilibrado, às vezes.

29 de nov de 2009

Natal!


Nunca fui muito empolgada com o Natal. Tá certo, uma vez ou outra.
Mas o fato é que as histórias de Natal, nascimento, presépio, Reis Magos, tudo é muito confuso para cabeça de uma criança. Que dirá para nós, adultos responsáveis.
Então resolvi dividir as fases. Lá vai:


  1. Zero aos 5 anos: Medo! Sim. Medo. De repente surge uma árvore, do nada, em plena sala. Cheia de penduricos que NÃO podemos de forma alguma encostar, tocar ou pegar. Isso sem falar nas estátuas e nos bichos que confundem a cabeça. Como uma vaca pode ter o mesmo tamanho que um cabrito?


  2. Dos 6 aos 10: Desejo. O fato é que se estudamos direitinho, nos comportamos bem (leia: sem brigas com irmão, nada de maltratar o cachorrinho da vizinha, não responder para papai ou mamãe, e nunca, nunquinha ter dito um palavrão) com certeza "desejamos" o MELHOR PRESENTE do mundo. Uma boneca linda (que de preferência faça tudo o que não podemos!!!), um carrinho fantástico (com air bag´s, claro!). Sim. Chegou o momento de satisfazer os desejos.


  3. Dos 11 aos 15: Frustração! Esqueça o medo, o desejo... se sobrar grana o bom velhinho é capaz de lhe dar de presente um chaveiro em formato de qualquer coisa. A alegação mais ouvida é a seguinte: Você já é um (a) mocinho (a)!


  4. Dos 16 aos 21: Ousadia! Você já é gata ou gato... escolhe seus próprios presentes que provavelmente serão usados na noite feliz... e seus familiares só terão sua companhia até a meia noite e um minuto... depois BALADA!!!!


  5. Dos 22 aos 30: Socorro! Você provavelmente já tem tarefas natalinas, fazer a salada, enfeitar a árvore, receber a vózinha de 85 anos no aeroporto, comprar o presente daquele afilhado que você só viu no batizado... UFA!!! E tem ainda o presente do namorado / marido (e filhos se você já se adiantou a próxima fase).


  6. Dos 31 aos 40: Família! Definitivamente as baladas já não fazem parte mais da Noite Feliz. Você é membro importante de todo o cenário e teatro natalino. É bem possível que tenha "até" vestido a fatídica roupa vermelha recheada de almofadas. Ainda tem que aturar o cunhado mala, o namorado da filha contando os segundos para a "balada", o marido "alto", as crianças com sono e a casa completamente destruída. Até seu banheiro foi "poluído"... argh


  7. Dos 41 aos 50: Descanso! Você provavelmente é "convidado". Então leva a sua famosa salada topa-tudo natalina embrulhada em papel alumínio. Senta-se confortavelmente, pede uma taça de qualquer coisa (as taças sempre surgem no Natal) e aguarda. O que só Deus sabe!


  8. Dos 51 aos 60: Obrigação! Tudo o que você queria na vida era assistir aquele velho e bom filme romântico. Jogada entre seus lençóis limpinhos. Mas o dever lhe chama. Então aproveita a festa. Abraça os amigos, os parentes, filhos, netos. Nesta fase da vida nada chateia. Tudo vale a pena.


  9. Dos 61 até o encontro definitivo com o menino Jesus: Ainda bem que é 1 vez ao ano! Você até que aproveita. Mas andam levando você as compras para aproveitar a fila preferencial que é sempre mais light e isso esta te deixando "p" da vida! Ainda bem que falta muito para o próximo!



Enfim... Feliz Natal!

28 de nov de 2009

A Isca


Você já percebeu que diariamente nos deparamos com "Iscas"?

Isso mesmo, iscas!

Tipo a minhoca que sei lá pq é sempre a escolhida!

É uma vitrina bem iluminada que deixa aquele vestido verde abacate de rendinhas lindo, divino, irresistível que você compra jurando que vai arrasar e que em seu closet não parece ser assim tãooo apetitoso!!! É aquele sonho recheado de goiabada com muito açúcar confeiteiro que só de escrever já me enche de culpa...

Amigo, a vida ta cheinha de "iscas".

Tem aquelas impublicáveis, comprometedoras.

Tem livros que você compra pela capa e depois se pergunta: - Como vou esquecer de tanta besteira que acabo de ler!

Tem amigos iscas... que você "abocanha" e pode sofrer com uma baita indigestão logo ali.

Eu sou rainha de cair nas iscas.

O que faz pessoas inteligentes, estudadas, preparadas, de boa família, de boa índole cair feito peixe palhaço nas iscas da vida?

Fica a pergunta!
22 de nov de 2009

Pronto Falei



Andei pensando algumas besteiras.

Coisas que tenho até medo de escrever.

Andei pensando muitas besteiras que a vida não permite.

Ei! Você aí... que desdenha do meu mundo que tem medo de me encarar... só o que me resta é dizer: vai te #$%¨*&*

Pronto, falei!
9 de nov de 2009

Estado das Coisa

Tenho cotidianamente me perguntado sobre o "estado das coisas".
Como tudo se estabelece. Se movimento. Se concretiza.
Não sei responder. Acho até que nem quero. Mas que intriga, intriga.
Às vezes tenho a sensação de que o exterior vai me esmagar. Me tornar tão pequena que poderei sumir. Se é que já não desapareci.
É uma pressão quase que insuportável. Todos. Tudo.
Como se lá, na minha certidão de nascimento, além dos dados normais estivesse gravado: "feita de aço".
Por isso me pergunto sobre o estado das coisas. Como suportam esta força da vida?
Parece assunto de doido, mas não. É real.
Ando cansada. Mas não um cansaço ruim. É um cansaço bom. De dever cumprido. Ou parte dele.
Era isso.
Ou parte disso.
5 de out de 2009

Esclarecimentos..


Apenas um informativo... o relógio aqui do Blog está doido... por exemplo, agora é 22hs14min... e pode ter certeza de que vai registrar 17hs e pouco... ou seja, o que importa não é "quando" escrevi e sim "o que" escrevi!!!

Ar! Please!


Não há menor possibilidade de agradar a gregos e troianos.


Pena isso!


Que chatice isso!


Pouco me importa isso!


Ser exageradamente notado é pior do que ser ignorado!


Quando alguém te ignora, te da espaço para pensar. Agir. Respirar.


Agora quando, insistentemente, te cercam é como se dissessem: para de respirar... eu te proibo de viver!


Algo assim!


Sufoca!


4 de out de 2009

Obrigada!!!

Vontade de agradecer.

Agradecer pelo dia.

Pela noite.

Pela Lua.

Pelo Sol.

Pela Chuva.

Pela Vida.

A minha vida.

A sua vida.

A vida do outro.

Pelo sorriso tímido.

Pela gargalhada desajeitada.

Pela menininha linda.

Pelo pai.

Pela mãe.

Agradecer por acordar.

Por lutar.

Agradecer por vencer ainda que a luta não tenha começado.

Por chorar, quando deveria gritar.

Por silenciar.´

Obrigada, por amar, ser amada...

Obrigada, viu?

30 de set de 2009

Desabafo!!!


"Ando pensativa em relação a vida.


Sinceramente não vejo muito sentido.


Desculpa se, de novo, estou sendo dura ou realista demais.


Mas a vida é um ultraje. Um desanimo. Uma tormenta.


Não temos poder sobre nada. Não decidimos nada. Não realizamos nada.


Tudo já está escrito. Como marionetes, bailamos no ar. Lá de cima, Ele comanda tudo e ainda nos faz crer que "livre arbítrio" de fato exista.


Que vida é essa?


Lutamos, lutamos e lutamos... e no final tudo, tudo mesmo, já estava planejado.


Vontade de desistir!"




Este trecho ai de cima é um desabafo. Momentos que temos que por para fora um desencanto. Uma tristeza. Só isso. Afinal de contas... a vida é


BOA DEMAIS!!!




19 de set de 2009

Silêncio

Vou escrever sobre o silêncio.

Ando pensativa com a possibilidade do silêncio.

O silêncio definitivo.

O silêncio.

Triste não ouvir a voz do mundo. O som da vida.

Uma dor imensa me consome por pensar nisso.

Os sentidos dão "sentido". Sem um deles como?

O olhar, o toque, o sabor, o aroma da alma... e o silêncio.

Tenho a nítida sensação de que nada muda.

Mas ainda assim, eu sei, que ele está lá: o silêncio.

E se pudesse gritar e espantar toda esta ausência?

Se pudesse sim, gritar e me fazer ouvir?

Vou lutar, lutar com as armas da fé.

Lutar com a força da guerreira.

Que sorri, ternamente, enquanto batalha!
18 de set de 2009

Parceiros de Vida


Sonhei com minha própria vida.

Como se eu fosse uma camera.

De longe, filmava tudo.

Com este distanciamento percebi que minha vida é comum.

Tranquila.

Normal.

Um ser humano que respira involuntária e vive voluntariamente.

Meus parceiros de vida são os melhores.

São "a nata" do universo dos parceiros de vida.

Eles me conduzem, me incentivam, me repreendem, me amam, me amparam, me acariciam, me protegem, me alimentam, me perdoam.

Os acessórios da minha vida compõe naturalmente os caminhos que eu trilho.

São somente acessórios.

O que vale mesmo, o que me anima e me acalenta, são eles, meus parceiros de vida.

Uma "ode" a eles e somente eles... meus parceiros de vida: minha mãe, meu pai (que já se foi), meus irmãos, minha amada, muito amada filha, minha neta (tudo em nossas vidas), meu marido e há poucos mortais que de fato me permitem ser quem realmente eu sou.

17 de set de 2009

Frases da Terapia!!!

"Se alguma coisa acontece é pq já aconteceu antes e você não deu a importância que devia!"

"Todo cuidado é pouco com a boca. O que entra por ela pode intoxicar e engordar. O que sai: Matar!"
"Linda essa história de ter filhos. Sorte dos humanos que são pais apenas dos seus. Na natureza há muitos animais que precisam cuidar da prole alheia!"
"A vida não tem parede. Tudo esta muito à vista. Por isso os vizinhos dão tanta importância para vida alheia!"
"Ser marido é muito bom. Eu queria era vê-lo com todas as neuroses femininas da vida de casada!"
"Odeio praia e duvido das pessoas que gostam. Areia, água salgada e sol escaldante não é uma combinação perfeita!"
"Quando leio livros, assim, complexos, tipo o Dicionário e a Lista Telefônica, entendo pq os intelectuais são tão chatos!"
16 de set de 2009

Novela...


A imagem esta meio turva, mas a cena é tradicional: o mocinho beija a mocinha depois de uma briga de arrancar os cabelos, pelo visto. Carícias ao ar livre... música suave eu ouço... combinam entre si. É sempre assim: sempre combinam.


A imagem continua turva e agora a cena é outra: carros passando e se amontoando em uma avenida pouco pavimentada. Ambulantes preparam o dia. Pedestres correm em direção a qualquer lugar. Escolas já apinhadas de crianças enlouquecidas. É cedo.


Desisti de tentar "consertar" a imagem. O que de fato me interessa são as cenas desta "novela". O quadro agora retrata moradores de rua, acordando.
Juntando "tralhas" de uma vida inteira. Sustentando nas costas toda uma história. Sujos. Famintos. Triste.


A cena muda. A história também. Resolvo, definitivamente, não limpar mais o vidro do carro, naquela manhã. A chuva não dá trégua. Turvo está, turvo ficará.


Minha novela particular de "carne e osso" me emocionou e ao volante não tenho como ignorar.


Não dá para mudar o "canal" da vida real.
15 de set de 2009

Sou a certeza de minhas incertezas.


Quando criaram o tal ditado "há uma luz no final do túnel" não imaginaram que trens, trilhos e túneis seriam raridades nos dias de hoje... por conta disso a luz lá no fim, também.

Que seja.

Estarei imaginando um brilhinho miúdo próximo das minhas mãos.

Bastando esticar os braços.

Quem tem a sorte de pensar, se dá ao luxo de imaginar.

Frases assim, desconexas para os arrogantes soam como sonetos para os sensatos.

Já dizia Luther King "O que me preocupa não é o grito dos maus. Mas o silêncio dos bons".

Então não me calo.

E falo com ânsia de me fazer ouvir.

Já que gritos são silenciosos demais...
14 de set de 2009

Humor, Mau Humor



Em dias de mau humor, evite abrir a caixa de correspondência.


E também não abra cartas do passado.

Em dias de mau humor, não mude o penteado.

Não vasculhe seu guarda roupas.

Não mude o cardápio.

Em dias de mau humor, NÃO ALTERE O TRAJETO.

Não procure familiares distantes. Nem amigos. Nem inimigos.

Em dias de mau humor, não se lembre da última discussão. Nem planeje a próxima.

Em dias de mau humor, não se exponha a luz intensa.

Nem se mire diante do espelho.

Em dias de mau humor não marque reuniões.

Não assine contratos. Nem discuta negócios.

Em dias de mau humor, não abrace ninguém. Soara falso.

Deixe de lado o salto 15. Ignore os olhares invejosos.

Em dias de mau humor, ouça música suave. Respire profundamente. Ame desesperadamente.

Pise na grama fofa.

Sorria sem graça.

Em dias de mau humor, evite desistir. Invista na felicidade.

Em dias de mau humor, não tente repensar a vida. Nem conte os amigos.

Não se lembre daquele dinheiro emprestado. Ou do vestido manchado.

Em dias de mau humor torça muito.

Torça para que acabe.

E um novo dia comece.

Um dia de BOM HUMOR!
13 de set de 2009

Personagens II


personagens da vida: a irmã: criatura que insiste em dizer que vc é quem se deu bem. apesar de vc usar até hj as sobras que não servem nela.


personagens da vida: o marido: único ser vivo na Terra que será para sempre. Ex é Ex... e marido nem se fala.


personagens da vida: a esposa. popularmente conhecida cm "meu bem" termo utilizado pelo sujeito marido a fim de não trocar nomes.


personagens da vida: o padeiro (descrição utilizada tbém para o leiteiro): cidadão bem dotado que só existe no imaginário masculino.


personagens da vida: ainda sobre o padeiro e o leiteiro: "meu bem" não entende essa obsessão ou delírio...


personagens da vida:o couffeir:item de primeiríssima necessidade. Praticamente "o ar que respira" da criatura esposa.Mantém a cabeça em dia!


personagens da vida: "o tio do bar": esse cidadão já viu de tudo. inclusive vc na faculdade matando aula. e pior: pedindo "fiado".Gente boa.




Mulher!

Ela não sabia, mas estava prestes a se decidir.

Havia estado, o dia todo, nervosa, ansiosa.

Já eram 6 da tarde e a pouca serenidade que ainda lhe restava escapava de suas mãos.

Passaram-se 30 anos. Uma vida.

Já não era mais a mesma pessoa. Além das rugas e do visível e insistente cansaço, estava mais descrente. Mais inconformada.

Mas agora não era tempo de rever nada, nem poderia.

Tinha que desligar o computador.

Passar um baton.

Pegar o elevador e encarar o passado.


Carta!



Desculpa sinceramente por fazê-la ainda ler o que vou escrever. Peço, que se houver tempo, leia até o final.


Não sei, nem pretendo entender, o que aconteceu.


Na verdade e sendo bem sincera não há na minha vida espaço para tais situações ou entendimentos.


Só me deu o direito de lhe escrever, já que deixou um recado para filha e é sobre ele que falo.


Não estou em um momento difícil na minha vida. NUNCA ESTIVE. Na verdade, vivi apenas momentos "especiais". Todos eles.


Também não tenho amigos. Deves ter percebido isso.


Tenho "companheiros" de vida. O que é muito diferente.


Não me deixo envolver, nem me envolvo com nada nem ninguém que não esteja diretamete ligado ao meu coração.


Sou isolada do mundo. Sempre fui.


Faço terapia por isso. E lá na terapia não vemos problemas por eu ser assim.


Não divido problemas. Não gosto que os dividam comigo.


Sou Assistente Social de formação, não de vida.


Sou fria e racional. Não tenho emoções afloradas e explícitas.


E quando pensam que as tenham é mera conveniência de minha parte.


Mesmo nos momentos mais especiais pensei de forma racional e humana.


Outra informação importante: sou humana.


Por ser humana, não sou perfeita.


Procuro, é verdade, ser, desesperadamente.


Não odeio. Não ironizo. Eu simplesmente ignoro da vida.


Não há espaço no "meu mundo" para tais sentimentos, nem pessoas, nem coisas, nem nada que faça eu perder o foco e meu caminho.


Caminho, aliás, já definido há muitos anos.


Quando ainda era criança.


Sabia, lá do alto de meus 6 anos, que nada nem ninguém me faria melhor ou pior... a não ser eu mesma.


Minha mãe costuma dizer que sempre fui "estranha" e muito adulta.


Hoje sei que não sou nem estranha nem adulta demais.


Sou humana.


Não permito ser invadida. Nem por marido, nem por filho, nem por "amigos", nem por mãe, nem por ninguém.


Como disse sou isolada. E me sinto feliz assim.


Não sorrio. Me comunico.


Não Choro. Me comunico.


Não brinco. Me comunico.


Simples assim.Tudo significa "comunicação".


Nunca vivi em um mundo de fantasia.


Tudo sempre foi real. Não me apego a nada material.


Costumo dizer e pensar que meu cérebro não precisa de griffe.


Tenho o suficiente para viver. Bem, é verdade.


Pouco mudei com a chegada da A.


E este pouco muitos dizem que para pior.


Eu mesma acho que para melhor. Ela me fez ver que eu sempre estive certa. E que o mundo é rídiculo, quando não se tem fé, saúde e amor (por si próprio!).


E para se ter esses três pilares o que basta é coerência, disciplina e dedicação. Para a luta, o que se precisa é força. Para os enfrentamentos, coragem.


Ou seja, SEMPRE estive certa.


Estamos e estaremos, eu e minhas meninas sempre na luta.


O que enxergam de nossas vidas é menos do que a cabeça de um alfinete. E será sempre assim.


Pois os ganhos são maiores que as perdas.


Não nos permitimos invadir.


Seja sempre feliz. Como tem sido até agora. Como disse, o que vale nesta vida é ser humano.


Independente de onde esteja, aproveite o máximo. Não para os outros. não viva para os outros. Viva cada momento para si.


Ser egoista neste ponto é fundamental para ser feliz.


Um bj ,
12 de set de 2009

Tristezas


É estranho como na vida é dificil ser 100% feliz.

Há que se aprender a viver em constante mudança, transformação.

Ora, se a vida é isto mudança e transformação, não serei eu, um mortal qualquer, que impedirá que alegrias e tristezas compartilhem o mesmo espaço.

O tempo todo.

Todo o tempo.

Você se alegra ao ver o sorriso de uma criança (desde que esta criança seja sua, esteja limpa, alimentada, bem vestida e saudável).

Você fica triste ao ver o sorriso de uma criança (se tal criança estiver no sinal, pedindo, descalça, por um trocado para a "droga" da "droga".

É triste.

Snif!
10 de set de 2009

Sonhos Realizados. Sonhos Desfeitos.


Domingo. 11h55min


Uma amiga querida chega em minha casa. Mais grávida do que nunca. Me alerta de que a visita é mera conveniencia já que esta a caminho de outro endereço. Diz: Passei para um "oi" e dizer que estou mais feliz que nunca, tenho aqui meu sonho.

Dito isto, alisa carinhosamente a barriga. Joana (mentirinha, este não é o nome dela) esta gravida após tortuosos 15 anos e 4 cães de espera.

Casada, as tentativas derrotadas de formar sua prole eram com o marido.

Separada tratou de aumentar as possibilidades até encontrar alguém capaz de "atender" a seu desejo antigo.

O "Pai" chamaremos assim o felizardo é casado, pai de familia, que "inocentemente" queria apimentar a vida nos braços de uma velha amiga.

Uma vez só. Mas foram muitas. Inumeras as vezes. E pasmem. Num pequeno espaço de tempo. Ufa!

Ela disse: Ele (o "Pai") vai se separar. Ficará comigo e nosso filho.

Pensei, não disse, essa história é velha.

A visita se foi.


Quinta. 07h59min

No celular a caminho do trabalho recebo uma mensagem: Amiga ele se separou.


A vida realmente nos surpreende.


Sonhos realizados. Do lado de lá, da familia do "Pai" Sonhos desfeitos.
Amiga. Parabéns. Pelo bebê. Pelo Amor!

Chuva


Quando criança olhavámos a chuva da janela.


Às vezes, em dias quente, pés descalços sobre a grama molhada, buscávamos os pingos e um banho ao ar livre era a brincadeira mais deliciosa da infância.


Na adolescencia, de olhos fechados imaginávamos beijos molhados de chuva.


Adultas, corremos dela.


Quando chove muito, assim como hoje, eu olho de novo pela janela, atrevo-me a molhar de leve as mãos, e quando fecho os olhos busco desesperadamente a mesma sensação da lembrança do beijo molhado.


Chuva!


7 de set de 2009

Personagens



personagens da vida real. a(o) amante: sujeito que acredita no amanhã.

personagens da vida real. a(o) vizinha(o): sujeito que acredita piamente que o terreno/ apto do lado é mais arejado e tem vista melhor.

personagens da vida real. a(o) empregada(o): sujeito que odeia o chefe e os colegas. torce para ser chefe de algum destes.

personagens da vida real. a(o) chefe. sujeito que já foi subordinado e esqueceu como era.

personagens da vida real. a(o) amiga(o).sujeito de sentimento puro,sem maldade,que acredita em tudo no outro sempre de olhos "bem" abertos.

personagens da vida real. a (o) fiel. sujeito de sentimento puro, sem maldade, que acredita em tudo no outro mas sempre de olhos fechados.

personagens da vida real. o ciumento. sujeito inconformado com "tudo" que tem e passa a invejar o "pouco" do outro.

A saga dos personagens segue. Aguardem.



Moderação


Peço moderação.


Peço moderação na vida.


Nos pensamentos.

No ato de amar.

Moderação no trânsito.

Nas refeições.

No sexo.

No consumismo.

No sono e na preguiça.

Na labuta.

Moderação.

Moderar sem cautela o ódio.

A avareza.

A beleza e a feiura.


Moderar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Blog Template by YummyLolly.com